sábado, 11 de setembro de 2010


Minha nuvenzinha.
Caminhando pela praia com a minha nuvenzinha
não parava de chover, chove chove
estava triste aborrecido sem prazer
chuva chuvisco chuvarada
corri corri me escondi, lá estava a nuvenzinha
tudo que eu tentava não adiantava
molhado sentia um frio terrível,
resolvi pegar um ônibus
sentado olhei pela janela, porque chovia em mim?
Não entendia
doía todos os ossos do meu corpo
pessoas caminhavam, estrelas outros lua planetas até galáxias,..
o tempo passando já não sabia o que fazer,
descriminado não podia estudar, dormir ou relaxar
sempre que tentava o trovão zangado mandava me acordar
me deparei com um pequena planta na beira da estrada algo começou a mudar
seca, seca sem vida resolvi encostar,molha molha vi o tempo passar
tanta vida começou a se multiplicar flores e flores
hoje até o solzinho vem me visitar.
E D F 2010

Um comentário:

Paulo Henrique disse...

as pessoas podem se esconder por detraz de textos aparentemente inofensivos, mas a marca continua l'a, a marca de Caim...