segunda-feira, 8 de novembro de 2010

O VENTO..


O VENTO..
um garotinho brincava num terreno baldio
as quatro horas da tarde de um dia qualquer
revirando o lixo achou uma sacola plastica
olhou umas fotografias antigas de pessoas
achou especial a que tinha quatro cavaleiros vestidos com umas roupas
estranhas
no verso algo escrito a mão então leu em voz alta
jogando palavras ao vento sem significados para ele
copos vazios bocas secas dentes amarelados
alegrias mortas restando a imagem
quatro cavalheiros sentados espadas baixas
tempos gloria quem vai saber?
Vacaria o da esquerda de chapel de caça
Juan no centro portando uma espingarda
Ernesto apenas faz cara de bravo
Ambrósio segura um animal morto no mato
um dia eles também caminharam se cobriram de sol
se molharam na chuva
más por um estante o tempo deixou de ser o tempo deles
a morte veio transformar palavras num grande silencio
apenas o fim do que eles acreditavam, futuro papel amarelado corruido.
o garotinho então escultou sua mãe lhe chamar
tão rápido soltou a foto
então o vento a levou levou levou o dia do nascimento
sorrisos homens vencidos pelo tempo levou levou ..
E D F 2010

2 comentários:

Paulo Henrique disse...

SEGUINTE...SEGUINTE...
PASSA A CONTA E A RÉGUA...

eddy disse...

o que uma foto não faz kkkkkk